Destaque,  Portfólio

Vestido de Baile 1850s

 

Quem de nós nunca sonhou com um vestido de baile imenso, bem rodado, para girar em uma valsa emocionante no melhor estilo romance de época? Um vestido de baile 1850 era um sonho antigo, que começou a tomar forma uns 2 anos atrás e esta semana finalmente conheceu sua versão final.

 

A PRIMEIRA VERSÃO

O vestido original foi feito em 2016, para um jantar temático do início do Segundo Reinado, que inclusive aconteceu numa casa que foi visitada por D. Pedro II em Floripa em 1845. Eu queria mesmo era reproduzir o vestido de Corte da Imperatriz Teresa Cristina, mas não consegui encontrar um cetim branco de boa qualidade a um preço acessível. Então, acabei mudando para um vestido de baile azul, também em cetim.

Eu não tinha a mínima ideia de como fazer o molde de um corpete de baile, mas conhecia suas características básicas: decote ombro a ombro, quatro pences (duas na frente e duas nas costas), barbatanas em todas as pences e costuras e a pontinha da frente. Para chegar a esse modelo, fui no método de tentativa e erro mesmo. Cortei primeiro um teste em pano americano, bem maior do que o meu tamanho, e fui ajustando diretamente no corpo com a ajuda do maridão. Depois esse teste foi usado para cortar o tecido de fora e virou forro.

vestido de baile vitoriano 1850
Meu molde de referência

A princípio o vestido de baile teria a saia lisa, mas faltava alguma coisa nele. Então acabei com a péssima ideia de adicionar uma sobressaia de voile de cortina, que eu não consegui drapear do jeito que queria:

Além disso, a minha crinolina estava completamente fora do padrão, o que dava ao traje todo um aspecto desproporcional, deformado mesmo. Mas eu adorei usar da primeira vez e me senti realizando o sonho de criança!

SEGUNDA VERSÃO

Para a reedição do mesmo jantar, já em 2017, eu resolvi trocar a sobressaia por um tecido mais molinho e com um leve efeito de brilho, já que o jantar seria realizado agora num local com paredes de madeira e luzes amareladas. O tecido parecia maravilhoso quando eu comprei, super leve e fácil de lidar, mas nosso relacionamento foi meio complicado. Depois acabei percebendo como ele pesava sobre a saia e criava a ilusão de uma silhueta mais evasê do que arredondada:

vestido de baile vitoriano 1850

VERSÃO FINAL

Aí eu resolvi que iria usar o vestido de um passeio da Floripa Dazantiga e que ele precisava de algumas reformas. A princípio eu iria apenas subir a barra uns 7cm, já que o vestido original eu usava com salto e isso seria impraticável de fazer no centro histórico. Mas, quando refiz a barra e montei a saia em cima da crinolina, acabei descobrindo uma mancha e um rasgo na sobressaia. SINAL DIVINO, hahahahaha. Tirei a sobressaia, mas a saia lisa ainda parecia meio vazia, então lá fui eu para o armário de tecidos.

Ano passado ganhei várias cortinas de renda de uma amiga e foi de lá que saiu a nova sobressaia, numa rendinha de ponto miúdo e tema floral que casou perfeitamente com a delicadeza do tom de azul do vestido:

vestido de baile vitoriano 1850

Para fazer o acabamento da barra, apliquei uma renda sintética com trama similar à da cortina, com algumas florzinhas azuis. Eu tinha só umas 40 flores em casa, então elas acabaram ficando espaçadas. Estou pensando em comprar mais algumas, talvez até em outros tons, para fechar o barrado todo com flores:

vestido de baile vitoriano 1850s

Também estava meio incomodada com o corpete, que originalmente tinha uma linha de pérolas. Acabei tirando tudo e trocando por uma aplicação de flores e renda:

vestido de baile vitoriano 1850

Mas o corpete havia ficado meio vazio embaixo, então apliquei o restante da renda nele:

vestido de baile vitoriano 1850

E um toque de herança da segunda versão do vestido: um laço de cetim nas costas, na base do zíper:

vestido de baile vitoriano 1850

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Gostei muito do resultado final dessa pequena reforma (não sei até quando, rsrsrsrs). Acho que o vestido de baile ficou com um aspecto mais histórico mesmo e ganhou mais alguns anos de sobrevida na minha mão. Mas há algumas coisinhas que definitivamente precisam ser melhoradas:

1- Peso da saia: como o cetim é leve e a saia não foi forrada, ela não pesa corretamente sobre a crinolina. Mesmo para um vestido de baile, tá balançando demais.

2 – Cós: o original não era entretelado, mas ele definitivamente precisa de entretela para melhorar a sustentação da sobressaia, principalmente.

3 – Barrado da sobressaia: estou pensando em aplicar as mesmas rendas florais do corpete no barrado, mas ainda não tenho certeza.

4 – Laço: o laço até ficou bonito, mas ele está pequeno em relação à proporção total da saia, então devo trocar por um laço maior e com as pontas caindo sobre a saia de renda.

COMENTÁRIOS

Historiadora, costureira e apaixonada pela história das coisas miúdas e aparentemente insignificantes. Alguém que acredita que a vida é muito curta para usar roupas comuns e que a moda é, sim, um espelho da história.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »