Robe a la o quê?!?

Robe a l’Anglaise

O século 18 tem vários estilos famosos e icônicos e certamente o Robe a l’Anglaise está entre eles. Nem tão formal quanto o pomposo Robe a la Française e nem tão despojado quanto a Chemise a la Reine, este vestido é um bom ponto de partida para quem está construindo um guarda-roupa do século 18.

O Robe a l’Anglaise começa a surgir nos anos 1720, derivado da mantua inglesa, e ganha popularidade na França a partir dos anos 1770. Dispensando o uso dos enormes paniers e podendo ser usado com o corset um pouco mais frouxinho, o Robe a l’Anglaise era considerado informal. O que isso significa? Que ele jamais seria usado na Corte, só nos salões privados da nobreza ou como traje do dia-a-dia entre as mulheres ricas que não eram nobres.

AS COSTAS DO ROBE A L’ANGLAISE

Além do tamanho das saias, a principal diferença entre o Robe a l’Anglaise e o Robe a la Française estava nas costas:

Vamos ver mais de pertinho:

Na década de 1770, essas pregas das costas começam a ficar cada vez mais estreitas, ao ponto de desaparecerem. Nos anos 1780, as costas do Robe a l’Anglaise já era feitas com recortes e a saia, como uma peça à parte e depois costurada ao corpete:

 

Aí você já vê uma outra característica marcante do Robe a l’Anglaise: essa pontinha em ‘V’ das costas do corpete e as pregas, que poderiam acomodar um petit panier…

panier anquinha século 18

…ou um “bumroll”, que eram almofadinhas colocadas no quadril e bumbum para dar o formato e volume desejado. Essa charge de 1785 nos dá alguma ideia dos modelos possivelmente disponíveis no final do século 18:

 

Eles nem exageravam na sátira. Mas, se você quer saber o que havia de verdade embaixo desses vestido, clique aqui e abra nosso artigo sobre o assunto.

A FRENTE DO ROBE A L’ANGLAISE

A definição do Robe a l’Anglaise em qualquer dicionário de moda do século 18 é a de um vestido bem ajustado ao tronco. Ao contrário do Robe a la Française, o Robe a l’Anglaise tende a ser totalmente fechado sobre o tronco, mas também há versões com um stomacher alfinetado.  Além disso, a frente do corpete do Anglaise também costuma ter uma pontinha e, como quase todos os modelos de vestido do século 18, as mangas são 3/4. A frente da saia é aberta para revelar uma anágua ou saia interior que pode ser contrastante ou feita no mesmo tecido do vestido.

Embora os modelos mais famosinhos de Robe a l’Anglaise sejam os que têm a saia interior/anágua contrastante, há ótimos exemplos de trajes feitos com um único tecido:

Este modelo dos anos 1780 é um dos meus favoritos. Ele é todo feito em algodão estampado, um clássico dos anos 1780, e pertence ao acervo do MetMuseum.

E você encontra por aí alguns com estampas de bastante personalidade:

E outros são tão delicados que parecem ter saído de uma confeitaria dos sonhos:

Aliás, repararam nos detalhes brancos desse vestido? Ao contrário do Robe a la Française, o decote fundo do Robe a l’Anglaise dificilmente era usado totalmente descoberto. Para preencher o decote, as mulheres usavam o fichu, um lenço de algodão muito fino, às vezes bordado. E nas mangas nós temos os engangeantes, que eram esses babadinhos removíveis que acrescentavam um certo charme ao traje.

 

FAZENDO UM ROBE A L’ANGLAISE

Se você está aqui apenas pelos vestidos bonitos, mas não tem interesse na costura, pode passar para o próximo tópico. Mas eu não faria isso se fosse você – afinal, nunca se sabe quando vai bater a vontade de canalizar sua Maria Antonieta interior 😉

Os moldes que eu vou mostrar aqui não são adequados para ampliação direta. Eles servem mais como um guia de proporções e posições de recortes para você traçar seu próprio molde.

Primeiro, o molde da versão tardia do Robe a l’Anglaise, já com os recortes nas costas:

Do livro “The Cut of Women’s Clothes”

Para a versão pregueada, que é infinitamente mais complicada, eu realmente aconselho você a considerar a compra do Guia de Costura Histórica de século 18 da American Duchess, que ensina a traçar o molde sob medida e como montar a roupa em todos os detalhes. Dá pra fazer sem o livro? Dá, mas você vai precisar de muita paciência…

E uma mãozinha extra – que, nesse caso, é o excelente tutorial do blog “The Fashionable Past“. Tá em inglês, mas nada que o o Google Translator não te ajude. E tem fotos, muitas fotos.

 

COMO É UM ROBE A L’ANGLAISE NA VIDA REAL?

Para nossa alegria, o blog La Dauphine Costuming tem um vídeo muito bom mostrando todo o processo de vestir esse traje e como ele fica no corpo:

INSPIRE-SE!

Confira uma galeria de Robes a l’Anglaise no Pinterest.


GOSTOU DESSE ARTIGO?

 Então que tal me ajudar a produzir ainda mais conteúdo de qualidade?

 

Seja um apoiador d’A Modista do Desterro e ajude a manter o blog com cada vez mais conteúdo de qualidade, tutoriais e pesquisas atualizadas sobre história da moda e dos costumes.

 

COMENTÁRIOS

Historiadora, costureira e apaixonada pela história das coisas miúdas e aparentemente insignificantes. Alguém que acredita que a vida é muito curta para usar roupas comuns e que a moda é, sim, um espelho da história.

Translate »