A Modista do Desterro – Pauline Kisner

Primeira Era Bustle e Anquinhas Vitorianas (1869-1876)

Depois da crinolina, é possível que o bustle ou anquinha seja uma das silhuetas mais conhecidas da Era Vitoriana. Com seus volumes traseiros distintos (ouvi popozuda?), é também um das silhuetas mais icônicas da história da moda, que até hoje divide opiniões. Não parece haver um meio termo: ou bustle é amado e odiado quase que na mesma medida!

A silhueta bustle passa por duas épocas distintas, cada uma com características muito específicas de formato da saia, decorações e também da anquinha que dava forma ao look:

No post de hoje vamos falar especificamente sobre a Primeira Era Bustle, uma silhueta que teve vida breve (1870-1875) e características muitos próprias.

Da Crinolina à Crinolette

O popozão dos anos 1870 não surge do nada. Ele é resultado de uma evolução da crinolina. Nos anos 1850, a crinolina era um círculo perfeito e, a partir dos anos 1860, ela começa a ganhar um formato levemente elíptico:

No final dos anos 1860, a crinolina havia ficado tão elíptica que os volumes da frente e lateral da saia diminuíram drasticamente:

Vestido original de 1869. METMuseum

E, nos primeiros anos da década de 1870, as saias mudaram novamente seu corte e ficaram ainda menores na frente e lateral:

Vestido de visitas, 1871. MetMuseum.

Toda essa mudança no corte das saias leva também à troca da crinolina por uma armação mais adequada à nova silhueta. No comecinho dos anos 1870 surge a crinolette, considerada o primeiro bustle. A crinolette tem três ou quatro aros de suporte na barra, somente para manter a saia aberta e numa proporção menor que a crinolina dos anos 1850 ou 1860. Sua principal característica são os aros para suporte traseiro:

1872-1875. LACMA Museum.

Os corpetes

No início dessa transição de silhuetas, o corpete perdeu o aspecto pontudo (exceto os de baile) e passou a terminar na cintura natural, que ganhou mais destaque com a marcação por cintos e fitas:

Por volta de 1870, a saia ganhou uma sobressaia, que era costurada ao corpete na lateral para mostrar melhor a saia de baixo. Era comum que todo o vestido fosse feito no mesmo tecido e com cores bem vibrantes, já que a indústria química havia conseguido obter corantes sintéticos de excelente qualidade desde 1854.

Muitas vezes a sobressaia é referida como “apron” (avental) e esse é o termo que vamos usar pelo resto desse post 😉

Mas essa não era a única mudança que a Primeira Era Bustle traria ao guarda-roupa feminino. Dois estilos de corpete surgem aqui e são muito característicos dessa época:

O corpete cuirass

O corpete cuirass é um estilo que surge por volta de 1874 e que se torna constante na moda feminina até a Segunda Era Bustle (anos 1880). Ele é um corpete alongado, que se estende pelos quadris. Nas costas, ele possui recortes e pregas para encaixar sobre a armação. Na frente, ele é bem ajustado à cintura com a ajuda de pelo menos 2 pences de cada lado:

Exemplo de corpete cuirass de 1874. MetMuseum.

Nem todo corpete cuirass era alto assim. Esse modelo também tinha variações decotadas, como esse vestido de jantar, que provavelmente era usado com uma chemisette de renda ou organza:

A Polonaise

A Polonaise começa a dar o ar de sua graça por volta de 1873, inspirada diretamente nos vestidos do século 18. Ela era formada por um corpete longo como o cuirasse, mas que era drapeado em torno dos quadris e principalmente em cima do bustle:

E as saias Bustle?

As saias da Primeira Era Bustle são muito carregadas: babados, plissados, drapeados, rendas, fitas… Muitos trajes da época parecem totalmente over para os nossos olhos do século 21, mas eles representavam riqueza e feminilidade. Não é à toa que, entre as mulheres de classe alta, só os vestidos de passeio não tinham cauda nessa época. Havia até um certo charme no barulho que o tecido fazia quando a mulher caminhava ou dança, com os babados das anáguas e saias arrastando contra o chão de madeira encerada… *suspira*

É desse nível de manipulação de tecido que estamos falando.

Como a gente falou ali em cima, é nessa época que vai surgir o avental, uma sobressaia drapeada que, assim como o corpete cuirass, vai ficar na moda até os anos 1880. Quando esse avental era cortado como uma peça separada, dizia-se que estava sendo usado en tablier. Quando o avental fazia parte do corpete polonaise, dizia-se que era usado en princesse.

As saias da Primeira Era Bustle atingiram seu auge de tamanho em 1875:

Para começar a diminuir lentamente, deixando uma sobra de tecido que precisava ser arranjada de alguma forma. Daí surgem os corpetes polonaise com drapeados cada vez mais complexos, que a partir de 1877-77 vão dar origem a uma outra silhueta vitoriana: a Forma Natural – mas essa fica para o próximo post.


Gostou do artigo?

 Então que tal ajudar a produzir ainda mais conteúdo de qualidade?

Seja um padrinho d’A Modista do Desterro e ajude a manter o blog sempre com conteúdo exclusivo e fresquinho para você. Nossos padrinhos ajudam a decidir o conteúdo, escolhem novos temas e tutoriais e podem até contar com uma consultoria exclusiva para algum projeto especial.

Tags:

compartilhe

Posts Relacionados

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.