Costura Histórica,  Tutoriais

Os 7 pontos básicos da costura histórica do século 18

Quem lida com costura histórica sabe que um dos nossos maiores problemas é que os materiais de referência estão em língua estrangeira, principalmente inglês. Aí, na hora de traduzir os termos, as coisas ficam meio sem pé nem cabeça, porque nem sempre o que está como tradução no dicionário é o termo usado coloquialmente. Isso sem falar que os nomes de técnicas de costura variam bastante entre as diferentes regiões do país!

Se você é iniciante na costura histórica (ou na costura de um modo geral), existem alguns projetos bem simples que você pode fazer à mão mesmo e que são ótimos para começar a montar o traje dos seus sonhos. Inclusive tem um artigo aqui no blog com 7 projetos de costura histórica para você se empolgar.

 

ALGUMAS DICAS INICIAIS

Antes de passar aos pontos, vamos falar sobre a preparação da costura.

TREINANDO A MÃO

Para que sua experiência com a costura de mão seja boa, é interessante praticar os pontos antes de aplicá-los no tecido do seu projeto. Um ótimo material para treinar a costura de mão, e aprender a dar pontos retos e parelhos entre si, é o etamine (aida cloth, em inglês), esse tecido com “buracos” que se usa para bordado em ponto cruz. O etamine está disponível em vários tamanhos de trama e até colorido.

Conselho da Modista: opte por um etamine fino e branco, que fica mais fácil de trabalhar.

 

O etamine é vendido em lojas de tecido ou de aviamentos.

MATERIAIS

Agulhas de boa qualidade – Nunca subestime o poder de boas agulhas. Para praticar, não é exatamente um problema começar com aquelas agulhas de kits chineses, mas dificilmente elas mantêm o fio e a força necessária para costurar mais do que 2 ou 3 camadas de tecido. Sempre leve em consideração o tipo de tecido que você vai costurar e não hesite em pedir ajuda ao vendedor para escolher a agulha correta para o “peso” do material a ser costurado.

Linhas de boa qualidade – voltamos aqui à questão dos materiais chineses. As linhas chinesas são péssimas até para treinar. Na fase do treino, você pode trabalhar com linha de bordado, que é um pouco mais grossa, para acostumar a mão e o olho. Na hora da costura definitiva, eu prefiro as linhas da Corrente (não sou patrocinada!). Mas, se você tiver acesso a linhas vintage de verdade, elas são as melhores! Dica de ouro da Modista: nunca trabalhe com um comprimento de linha maior que a medida do seu antebraço.

Cêra – mesmo boas linhas enrolam. A cêra de abelha evita que isso aconteça e ajuda a linha a deslizar muito melhor na costura. A maioria dos lubrificantes de linha vendidos por aí tem parafina misturada e não funciona do mesmo jeito. A minha cêra é uma vela de cêra de abelha pura que eu comprei por R$5 e fatiei em rodelas para usar no kit de costura. Funciona maravilhosamente bem.

Dedal – vai por mim, você vai precisar dele na hora de empurrar a agulha em costuras um pouco mais grossas. Existem dedais de todos os tipos e materiais, desde os mais simples de plástico até os de porcelana. Desde que ele não seja furado pela agulha, até o mais barato cumpre a função de proteger as pontos dos seus dedos e cutículas de alguns acidentes desagradáveis.

Tesoura de tecido – tesouras de tecido não podem cortar outro tipo de material ou perdem o fio!

Tesoura de arremate – uma tesourinha especial para cortar linhas em locais onde as tesouras grandes poderiam causar um desastre

Tesoura de arremate no modelo mais básico. As minhas paguei cerca de R$ 2,50 cada uma.

PONTOS BÁSICOS DE COSTURA DE MÃO

Vamos começar tirando um mito absurdo com relação à costura histórica: você não precisa ser um ás de costura nem saber um monte de pontos chiques! Muito menos ser perfeito: muitas peças que estão em museus, que eram feitas por costureiras amadoras, têm pequenos defeitos que dão um ar muito mais humano à peça. Então, DESAPEGA DO PERFECCIONISMO.

Agora vamos falar especificamente sobre alguns dos pontos mais usados em projetos de costura histórica, com os nomes em inglês, indicações de uso e vídeos demonstrando a aplicação de cada ponto.

01) PONTO ATRÁS / BACKSTITCH

 

02) PONTO CORRIDO / RUNNING STITCH

 

03) PONTO ATRÁS ESPAÇADO / SPACED BACKSTITCH

 

04) PONTO DE BAINHA / HEMMING STITCH

05) MANTUA MAKER’S SEAM

 

06) PONTO INGLÊS / PONTO ALEMÃO / COSTURA SEM NOME

 

07) WHIPSTITCH/ PONTO ESPIRAL + COMO FRANZIR AO ESTILO SÉCULO 18

COMENTÁRIOS

Historiadora, costureira e apaixonada pela história das coisas miúdas e aparentemente insignificantes. Alguém que acredita que a vida é muito curta para usar roupas comuns e que a moda é, sim, um espelho da história.

5 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »