Costura Histórica,  Filmes & Séries

Mary Poppins Returns: Planejando o cosplay

Entre os planos de costura de 2019, que eu já tinha comentado com vocês lá na retrospectiva 2018, está um cosplay do filme novo da Mary Poppins. Eu já tinha me apaixonado pelo vestido só com a foto promocional, mas quando assisti ao filme, descobri que era amor verdadeiro e não paixonite de adolescente.

 

VESTINDO MARY POPPINS EM 2018

É sempre um desafio para um designer criar figurinos de um personagem já tão icônico e Sandy Powell fez isso belamente. “Mary Poppins Returns” não é um remake; é uma continuação do filme original de 1964 e se passa nos anos 1930, em meio ao caos da Grande Depressão; o filme de 1964 se passava em 1910, com muitos elementos emprestados do universo vitoriano. Sandy Powells conseguiu equilibrar o figurino entre o vintage, o fantástico e o vitoriano, com referências muito interessantes aos figurinos originais. E embora haja uma predominância de figurinos vintage (1920-1930), a minha cena favorita é aquela que tem o único traje vitoriano da Mary Poppins em todo o filme.

A “Cena da Tigela”, como está sendo chamada pelos entusiastas, se passa num universo que mistura animação com os atores, e animação com o jeitinho clássico da Disney! E Mary Poppins aparece lindamente vestida com um traje bustle dos anos 1870:

mary poppins returns sandy powell
Design original de Sandy Powell.
Curiosidade: foram criados 448 looks originais para o filme.

 

Em uma entrevista para o Hollywood Reporter, Sandy Powell  disse que os figurinos dessa cena em especial foram pensados para parecer desenhos animados como todo o resto. Os tecidos foram pintados à mão para criar a ilusão de 2D, ao invés de 3D. E esse é o resultado magnífico:

Traje original exposto durante a premiere de “Mary Poppins Returns” em Londres

DECIFRANDO O TRAJE

Apesar do lance do tecido pintado, o vestido tem uma silhueta claramente 1870, em especial na saia. O corpete já é outro assunto e vamos falar sobre ele depois.

A influência dos anos 1870 é clara no formato da saia, na presença da anquinha no bumbum e nos detalhes das pregas, avental/sobressaia e na própria cauda. Dá uma olhadinha nessas ilustrações de moda da época e veja se você concorda comigo:

mary poppins moda vitoriana bustle anquinha 1870s
Gazette des Familles, 1873

 

L’Elegance Parisienne, 1873

A Cindy, do blog The Broke Costumer, reproduziu um modelo de 1872 e a gente consegue ver bem como esse design funciona na vida real:

1870s dress moda vitoriana bustle anquinha mary poppins 2018

Enquanto o corpete do figurino não é exatamente uma peça histórica, ele é bem charmoso. Tem mangas levemente bufantes, que fazem bastante referência aos anos 1880, e as “abas” que encaixam em cima da anquinha. Mas o que eu mais gostei foi o colarinho pintado à mão:

Queria um close do chapéu, mas ainda não consegui. Ele tem dois pássaros, um azul e outro rosa, absolutamente adoráveis. Eu bati o olho no chapéu, olhei pro marido e a gente só pensou numa coisa: E.V.A.! #modoprofessoraativado

 

ESCOLHENDO OS MOLDES

Faz muito tempo que eu penso em fazer um traje da Primeira Era Bustle, mas sempre acabei deixando para trás por conta do meu amor pelas crinolinas. Então, o cosplay da Mary Poppins me dá a oportunidade perfeita isso! Mas decidi fazer dois trajes em um: a saia seguirá uma linha totalmente histórica, até mais do que no filme, e teremos dois corpetes (o do filme e um historicamente correto). E como a Era Bustle é uma novidade para mim, já que a única dela que eu tenho é o corset, isso significa que vou precisar confeccionar toda a estrutura interna. Bastante trabalho, mas minha previsão é usar o cosplay apenas em maio ou junho!

Então, vamos às partes do traje e seus respectivos moldes:

Corset 1870-1880 | ok

Chemise e calçolas | ok

Bustle + anágua | molde TV101E da Truly Victorian, que já combina anquinha e anágua numa peça só

Anágua com cauda removível | molde do livro “Corsets & Crinolines” da Nora Waugh

Saia | molde próprio, a partir dos modelos do livro “The Cut of Women’s Clothes”, também da Nora Waugh

Corpete do filme | molde próprio #socorro

Corpete histórico | polonaise TV410E da Truly Victorian

Sombrinha | molde próprio

 

ESCOLHENDO TECIDOS

Os anos 1870s me dão basicamente duas opções: seda e algodão. Mas, para ficar mais próximo do filme e caber no orçamento, vou ficar com o algodão mesmo. Ainda preciso calcular a metragem da saia, que será a peça mais cara, mas sei que uma loja daqui da região tem um tecido de lençol branco com listras rosas por um preço razoável (21,90) e com quase 3m de largura, o que dá uma boa economia de material.

CORPETE: tricoline rosa forrada na mesma cor, todo bom barbatanas. Não precisa de entretela.

COLARINHO: tricoline branca com pregas de tricoline rosa. Laço de tricoline. Entretelado de leve.

ANÁGUAS: percal de lençol, engomadas

SAIA LISTRADA: percal de lençol

SOBRESSAIA/AVENTAL: Organza (não a cristal). Se encontrar organza de cortina no tom certo, será melhor ainda.

SOMBRINHA: Sobras dos tecidos anteriores em branco e azul ou o bom e velho oxford.

Uma coisa muito boa é que esse vestido não é carregado de passamanarias, o que já torna o projeto um pouco mais econômico. Mas confesso que as pregas da saia listrada já parecem bem intimidadoras…

COMENTÁRIOS

Historiadora, costureira e apaixonada pela história das coisas miúdas e aparentemente insignificantes. Alguém que acredita que a vida é muito curta para usar roupas comuns e que a moda é, sim, um espelho da história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »