Costura Histórica

Inspirações para Janeiro: Roupa Íntima | DESAFIO DE COSTURA HISTÓRICA 2021

Olá, meus queridos!

 

Janeiro chegou e com o novo ano teremos também o começo do Desafio de Costura Histórica 2021. E como é sempre bom começar pelo básico, também é bom relembrar: um dos grandes segredos para um bom traje histórico está naquilo que nós não vemos, na roupa íntima. Clique aqui e confira 7 projetos de costura histórica perfeitos para iniciantes.

O conceito de roupa íntima é beeeeeem amplo e a aparência dessas peças mudou bastante ao longo do tempo. Mas sabe que isso é bom? Porque são peças no geral bem fáceis de serem feitas e algumas delas até poderiam ser usadas no dia de hoje. Boa parte das chamadas roupas íntimas usam tecidos simples e baratos, e técnicas de costura mais fáceis, o que faz delas um ótimo ponto de partida para quem está começando.

Pra vocês se inspirarem, separei algumas peças para hoje:

1. Chemises / Shifts/ Camisas de Manga

São a primeira camada de qualquer traje histórico e, vai por mim, você nunca terá chemises demais. Eu sempre indico essa peça como uma introdução à costura histórica por três motivos:

a) a construção dela é extremamente simples, baseada em retângulos e quadrados;

b) ela foi usada por todas as classes sociais,  com pequenas mudanças de construção, da Idade Média até os anos 1920;

c) é uma peça que pode ser feita com tecido de algodão branco (tricoline e percal de lençol) e até com um lençol velho – e isso é historicamente correto!

Como fazer uma chemise vitoriana (tutorial aqui do blog)

A Merlim Crafts tem um post contando em detalhes como ela fez uma chemise medieval com suporte para os seios.

Medieval: Um tutorial em partes no Youtube, bem visual |

Renascentista: Angela Clayton Elizabethan Costume

Século 17: Festive Attyre |

Século 18:  Marquise | Angela Clayton

Século 19: Tea in a Teacup | Molde original de 1880

 

 


2. Drawers/ Pantalettes / Calçolas

Embora as “calçolas de vovó” só tenham se tornado realmente populares a partir do século 19, elas são uma ótima alternativa às lingeries modernas quando estamos de corset. Elas são confortáveis, arejadas e, além de tudo, salvam a vida de quem tem problemas com assaduras devido às coxas grossas. Sem falar que, no caso de um ventinho maroto, é bem melhor estar com calçolas por baixo dos vestidos!

As tais “calçolas” eram originalmente abertas no meio das pernas por questão de conforto e são basicamente duas pernas de calça, costuradas e decoradas de forma independentes, e unidas apenas no cós. Não é uma visão muito agradável, eu sei, mas vale a pena pelo exercício de costura histórica.

Algumas referências, tutoriais e experiências:

The Dreamstress |   Everyday Clothing Project  |   Molde no site Tudor Links | Molde e instruções da Miniphile |


 

3. Anáguas

As anáguas são suas melhores amigas. E isso é sério: os melhores trabalhos de costura histórica podem ir por água abaixo sem boas anáguas. Não só elas ajudam a armar vestidos (se forem engomadas, por exemplo), mas ajudam a suavizar as marcas de outras peças de suporte, como anquinhas e crinolinas, para que elas não aparecem no vestido.

Basicamente, anáguas são retângulos franzidos ou pregueados, onde você pode aplicar rendas, babados, bordado inglês e passa-fitas À VONTADE. São bons projetos justamente para você aprender a trabalhar com esse tipo de aplicação, a preguear e franzir barrados de maneira uniforme e firmar a mão na costura: com suas costuras basicamente retas, elas são perfeitas para iniciantes. Além de fáceis, são peças que nos dão um senso de estar chegando a algum lugar, já que nos permitem começar a ver a silhueta da época com que estamos trabalhando.

Como cada época tem anáguas específicas, separei alguns links para vocês.

Aqui no blog a gente já tem um tutorial de anágua eduardiana e outro de anágua vintage estilo 1950.

A Ju Lopes tem um tutorial sobre anáguas de cordão, que são um modelo usado no período 1820-1850 e que têm um sistema bem curioso de suporte.

Lá no Traje Brasilis tem um tutorial em português para a saia básica/anágua do século 18

Elizabethan Costume tem várias opções de anáguas do período Tudor.

No site da Marquise, temos um pequeno tutorial de anáguas e saias do século 17.

Duas boas opções de tutorias para anáguas do século 18  estão no blog da American Duchess e no blog da Koshka The Cat. Como a construção das saias e das anáguas é basicamente a mesma, o vídeo da Angela Clayton também é uma ótima referência.

Para a época da Regência (algum fã de Jane Austen aí?), temos bons tutoriais e referências aquiaqui e aqui.

Várias silhuetas são possíveis na Era Vitoriana. Para o período das crinolinas, o site da Truly Victorian oferece instruções + diagrama gratuitos. No blog Tea in a Teacup tem um bom tutorial para anáguas de saias de anquinha. E a Angela Clayton, como sempre, tem vídeos e postagens matadores sobre 1890.


 

4. Corset Cover

 

Essa peça não era usada por todas as mulheres, mas era bastante comum. Geralmente mais fina que a chemise, ela mais parece uma brusinha moderna (e viraria uma sem grandes problemas!) e sua função era não deixar o corset marcando a roupa. Dependendo da época, a corset-cover era super decorada com rendas e mais soltinha no corpo, enquanto que em outras época era mais ajustada e menos detalhada. Na Era Eduardiana, especificamente, ela ainda pode ter babados para ajudar a criar aquele efeito típico do busto da época.

Você acha bons tutoriais e referências nesses links:

Transformando lenços numa corset-cover eduardiana

Corset Cover e anágua

Tutorial em vídeo 1 (Pocket Full of Poseys)

Tutorial em vídeo 2

Tutorial em vídeo 3

Modelagem em vídeo

 

PROCURANDO MOLDES PRONTOS?

Dá uma olhada nos links aqui embaixo para conferir boas opções de livros e moldes prontos em pdf:

17 livros essenciais de costura histórica

Moldes históricos: onde encontrar?

 

 

COMENTÁRIOS

Historiadora, costureira e apaixonada pela história das coisas miúdas e aparentemente insignificantes. Alguém que acredita que a vida é muito curta para usar roupas comuns e que a moda é, sim, um espelho da história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »