Costura Histórica,  Downloads

Caderno de Amostras: aprenda a fazer o seu!

O caderno de amostras é uma ferramenta importantíssima para quem trabalha com projetos que envolvem grandes quantidades de tipos diferentes de tecido. Cosplayers, figurinistas e designers de moda em geral costumam ter esse tipo de catálogo à mão para facilitar a vida na hora de escolher e localizar tecidos para seus projetos, mas qualquer pessoa que trabalhe com materiais têxteis vai adorar ter um!

O caderno de amostras é um catálogo com amostras de tecidos, onde identificamos algumas características do material que podem ser úteis para projetos futuros. As informações que acompanham os tecidos dependem das suas necessidades: composição, fábrica/procedência, loja onde foi comprado, projetos onde foi usado, valor e data de compra, para que tipo de projeto esse tecido é mais adequado, etc. Eu me obriguei a criar um caderno desses por conta do Traje Brasilis, já que preciso ter um controle maior sobre as fabricação das peças, porque vão rolar algumas exposições futuras com os trajes.

Embora seja muito usado nas confecções modernas, o caderno de amostras não é uma coisa exatamente recente. Nos século passados ele era literalmente um livro com amostras de tecido coladas, acompanhado de informações básicas, e era usado como catálogo pelas fábricas de tecido e seus representantes comerciais. Mas eles também eram usados como uma ferramenta de organização pessoal, como é o caso dos famosos “livros de guarda-roupas” da rainha Maria Antonieta:

Capa e página de um dos volumes de 1782 do livro de amostras de Maria Antonieta. Gallica.

Aqui no blog eu já falei sobre os cadernos de amostras de Barbara Johnson (1746-1823):

POR QUE TER UM CADERNO DE AMOSTRAS?

Se você é profissional da área de Moda ou lida com diferentes tipos de tecido, o caderno de amostras pode ser o seu catálogo pessoal, um ferramenta para ajudar você a organizar e localizar seus materiais em geral, e não apenas tecidos. Rendas e passamanarias também eram catalogadas nesses livros, principalmente no século 18 e 19, assim como botões. Então o céu é o limite para você escolher que tipo de material quer incluir no seu caderno!

Amostras de botões do final do século 18. Coleção Cooper Hewitt.

As informações que você vai incluir dependem da finalidade do seu catálogo, mas algumas delas são meio que um padrão nesse tipo de caderno: nome comercial do tecido, tipo de fibra, origem (que pode ser o país, tecelagem ou loja), quando foi adquirido e a que preço, em que projeto foi usado. Você também pode incluir observações sobre conservação e lavagem, além de indicações específicas sobre como o tecido deve ser manuseado, cortado ou costurado.

POR ONDE COMEÇAR?

Uma boa maneira de você começar seu caderno de amostras é literalmente com um caderno ou um fichário. Os modelos de argola são sempre os mais indicados, já que as folhas vão ficando grossas à medida em que você vai acrescentando os retalhos de tecido. Por esse motivo sketchbooks são bons no começo, mas o volume pode estragar as lombadas. Então que tal começar com um caderno de espiral com folhas recicladas ou dar um destino digno àquele fichário de argolas que tá abandonado no cantinho do escritório?

Uma boa opção de customização para reformar o fichário velho é o encapamento com tecido. Você pode dar destino aos retalhos que tenha em casa e criar uma capa única. Esse é o tutorial que eu sempre uso para encapar os meus:

A partir daqui você pode trabalhar com folhas pautadas do tipo que são vendidas em papelarias ou pode baixar o modelo exclusivo que fiz para vocês, meus seguidores maravilhosos, e imprimir em casa ou na gráfica de sua preferência.

O CADERNO DE AMOSTRAS DO BLOG

Nosso caderno de amostras tem um layout bem simples e clean, mas fofo, com as informações básicas para o seu primeiro caderno. Ele foi pensado para fichários e já prevê o espaço para a furação das argolas, que você poderá fazer em casa conforme o modelo de fichário que você tenha, já que o número e posição de argolas varia muito.

O nosso caderno está disponível em dois formatos: A4, que é o fichário grande, e A5, que é aquele modelo menor, muito usado para cadernos de receitas. Cada modelo é um arquivo .pdf único, que traz 4 esquemas de cores. É só você escolher a cor que você quer e imprimir a mesma página quantas vezes precisar (ou fazer com todas as cores e deixar bem colorido!).

Clique no botão abaixo e faça o download gratuito através do Google Drive:

 

COMENTÁRIOS

Historiadora, costureira e apaixonada pela história das coisas miúdas e aparentemente insignificantes. Alguém que acredita que a vida é muito curta para usar roupas comuns e que a moda é, sim, um espelho da história.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »