Belle Époque Tropical (1900s),  Costura Histórica,  Portfólio,  Projeto Memento Mori

Blusa de luto eduardiana (1900s)

Quem me acompanha no Facebook e no Instagram viu que o Projeto Memento Mori fez um pequeno desvio para a Era Eduardiana (1901-1910). Eu resolvi fazer um traje de luto 1900s completo em quatro dias, usando somente os materiais que eu já tivesse em casa. Eu ia usar o traje num evento acadêmico sobre patrimônio funerário na sexta, mas um compromisso acabou me segurando em Floripa (o evento era em Blumenau). Nesse post eu vou falar um pouco sobre a inspiração do traje e mostrar a primeira peça dele, que é a blusa.

 

Inspiração

Eu queria algo que fosse bonito e elegante, mas não carregado de detalhes como é a maioria das peças eduardianas que chegaram até nós. Precisava ser algo funcional, razoavelmente fácil de vestir e de usar na rua (já pensando no evento e no deslocamento), mas que tivesse os elementos mais icônicos da moda eduardiana: cintura marcada, saia com bastante movimento e a famosa silhueta S (“peito de pombo). E, sendo um traje de luto fechado, todos os tecidos e decorações precisariam ser pretos e foscos.

Para pensar a silhueta, me inspirei em dois modelos do MetMuseum e acabei misturando elementos deles:

Molde

O molde que usei foi um frankenstein combinando elementos de outros moldes que eu já tinha em casa: cada parte da blusa veio de um molde diferente, porque eu estava com preguiça de riscar outro. Mas a referência do monstrinho foi essa:

Fonte: Real Historical Patterns

Materiais

Como eu estou tentando reduzir o material que tenho acumulado em casa, trabalhei com o que já tinha guardado: 2m de  algum algodão preto com acabamento acetinado, que eu sinceramente não sei que tecido é.

Só precisei investir nas rendas para decoração, o que me custou um total de R$ 18, porque tinha entremeio de algodão puro na jogada.

Entretela para os punhos e botões também vieram da minha reserva particular.

 

Montagem

O que deu mais trabalho na blusa foi, de longe, a montagem das decorações. Tudo precisava ser espelhado e simétrico e eu acabei levando quase um dia inteiro entre mangas e corpo da blusa.

Decoração das mangas

Decoração do corpo da blusa

No fim, me diverti. Fiquei tão focada no trabalho que acabei esquecendo de fotografar o processo de montagem da decoração das costas!

 

RESULTADO FINAL

 

Frente

Costas

E a lateral, com o efeito “peito de pombo” que nós amamos:

Jabot

O jabot foi um detalhe de última hora e feito de total improviso: um entremeio de renda de algodão dobrado ao meio, com alguns centímetros de bordado inglês pregueado, e ganchinhos para fechar nas costas. E um broche nada histórico, mas que é meu xodó.

Cinto

O que restou do tecido da blusa ganhou uma sobreposição de tule bordado (outro retalho que estava dando sopa pela quarto de costura) para virar um cinto improvisado. O cinto foi estruturado usando entretela cavalinha e ele deveria ser mais pontudo, mas eu não tinha tule o suficiente para isso. Então acabou ficando assim:

A foto tá ruim, mas dá pra ver o padrão do tule.

A próxima etapa é a saia, que já está montada, mas não tem nenhuma decoração e nem barra. Como ganhei mais tempo para isso, agora vou me dedicar a dar um upgrade na saia para deixá-la um pouco mais elaborada.

COMENTÁRIOS

Historiadora, costureira e apaixonada pela história das coisas miúdas e aparentemente insignificantes. Alguém que acredita que a vida é muito curta para usar roupas comuns e que a moda é, sim, um espelho da história.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »